Pagamento FIES 2018 – Como Funciona?

O ano de 2018 está chegando e com ele importantes mudanças no Financiamento Estudantil (FIES). Grande parte dessas mudanças não afetarão os estudantes que já recebem o benefício à partir de 2010, mas aos novos estudantes, a candidatura para 2018 traz novos benefícios e a necessidade de atentar-se às novas regras de Pagamento FIES 2018.

Pagamento FIES 2018

Pagamento FIES 2018

Uma das principais mudanças presentes no Novo FIES está diretamente ligada ao pagamento da dívida feita durante o curso, assim como às taxas de juros impostas sobre o financiamento.

Como é feito o pagamento atualmente?

Hoje o FIES conta com apenas uma modalidade de financiamento e a taxa de juros aplicada é de 6,5% ao ano. Ao concluir o curso o beneficiado tem um prazo de 18 meses para começar a pagar a dívida total. O prazo para que a dívida seja quitada é de até três vezes o tempo financiado com um acréscimo de 12 meses. Trimestralmente o estudante paga uma taxa de R$ 150,00 referentes aos juros impostos sobre o financiamento.

Ainda nesse ano, uma mudança foi feita no programa, uma vez que o valor máximo da mensalidade foi alterado. No início do programa o FIES cobria mensalidades de até R$ 7.600,00, à partir do primeiro semestre desse ano esse valor foi reduzido para R$ 5.000,00 por mês ou R$ 30.000,00 por semestre.

Todos os pagamentos são efetuados por meio da Caixa Econômica Federal ou pelo Banco do Brasil e os boletos são enviados diretamente ao endereço cadastrado no momento da inscrição.

O que muda?

À partir do primeiro semestre de 2018, os estudantes que forem beneficiados com as novas regras em vigor, pagarão o empréstimo dado pelo governo com desconto em folha de pagamento, assim que concluírem o curso e conseguirem um emprego formal.  As parcelas descontadas serão de até 10% do valor da renda mensal ou da empresa aberta no nome do estudante que foi beneficiado pelo programa.

Os pagamentos trimestrais ainda continuam, bem como os boletos encaminhados aos estudantes, a principal mudança é que o aluno não terá mais 18 meses para começar a pagar, pois assim que encontrar um emprego formal, os descontos começarão a entrar em vigor. Caso o estudante não tenha uma renda formal, ele continuará pagando a taxa de coparticipação (juros impostos sobre o financiamento) que pagou ao longo do curso.

Segundo o Ministério da Educação (MEC) isso ajudará a diminuir a taxa de inadimplência entre os beneficiados pelo financiamento e facilitará o processo de quitação da dívida.

Além disso, o Ministério da Educação (MEC) divulgou que à partir do ano de 2018 haverá novas modalidades de financiamento, nas quais os juros chegarão a 0% e irão variar de acordo com a escolha do candidato. Em todas as modalidades, que serão exploradas em outros artigos do blog, o desconto em folha de pagamento será a única forma de quitação da dívida após a conclusão do curso, eliminando o período de 18 meses de carência existente no programa desde o ano de 2010.

 

 

One Response

  1. Francisca Ribeiro Souza

Add Comment