FIES ou Quero Bolsa? Qual é o melhor?

Estamos rodeados de novas informações, novas tecnologias e facilidades que nos auxiliam diariamente. No âmbito acadêmico não é diferente e cada vez mais temos acesso à programas de financiamento e/ou bolsas parciais ou integrais que universidades disponibilizam.

Fies ou Quero Bolsa

FIES ou Quero Bolsa? Qual é o melhor?

Mas em meio a tantos benefícios, como saber qual o melhor e mais viável? O programa FIES e o site Quero Bolsa, apesar de iniciativas diferentes, têm como intuito mútuo ajudar jovens de baixa renda a ingressar na universidade. Iremos comparar tais iniciativas que auxiliam estudantes Brasil afora, a fim de demonstrar qual opção pode realmente beneficiar cada tipo de estudante.

FIES

O FIES é um dos programas mais famosos concedidos pelo governo. Nele, estudantes matriculados em instituições de ensino superior privadas possuem a oportunidade de financiar 100% do valor total do curso e pagá-lo apenas 18 meses após o término do mesmo.

Para participar o aluno deve possuir renda mensal de até três salários mínimos, ter prestado o ENEM após o ano de 2010 com nota superior a 450 e não ter zerado a redação, finalizado o ensino médio e estar regularmente matriculado em uma instituição de ensino superior não gratuita.

O cadastro é feito pelo próprio site do SisFies e uma vez beneficiado pelo programa, o estudante paga uma taxa semestral no valor de R$150,00, referente aos juros impostos sobre o financiamento e só quita o valor total da dívida após 18 meses, à partir da data de término do curso, com acréscimo de 12 meses. O valor total é parcelado e as taxas de juros variam de acordo com a opção de financiamento escolhida pelo estudante.

Quero Bolsa

O site Quero Bolsa, diferente do FIES, não é uma iniciativa governamental e não é o principal mediador no processo de financiamento do curso. Essa iniciativa se apresenta como um site, no qual diferentes universidades que possuem bolsas de até 75% são divulgadas.  O processo não possui etapas burocráticas e é feito totalmente online.

Para participar, o aluno deve acessar o site do Quero Bolsa e preencher os campos centralizados na página. Lá, ele pode selecionar se o curso é de graduação ou pós graduação, presencial ou a distância, o valor máximo que pode pagar e qual o seu curso de interesse. Feito isso, o site apresentará uma lista de universidades compatíveis com a busca desejada e as bolsas e descontos disponíveis.

Cada bolsa segue o regulamento de sua respectiva universidade, o que não deixa o processo totalmente alinhado, por isso para que o aluno saiba se pode ou não concorrer a vaga, deve acessá-la e ler os regulamentos oferecidos pelo site sobre a instituição de ensino superior na qual deseja ingressar atentamente.

Após encontrar a bolsa que melhor se encaixa ao seu perfil, o estudante é redirecionado a uma página de cadastros onde preenche seus dados e paga uma taxa única de pré-matrícula para que tenha direito a bolsa. O comprovante deve ser impresso e apresentado no momento da matrícula na instituição.

As ofertas do site mudam de acordo com o curso, turno e disponibilidade do curso na universidade, bem como os reajustes feitos antes de concedida a bolsa.

Afinal, qual é melhor?

Depende de qual iniciativa atende melhor as suas necessidades e se você se encaixa nos requisitos de cada programa. O FIES proporciona ao candidato uma graduação sem muitos gastos, mas com a certeza de que essa dívida deve ser quitada após o término do curso.

O site Quero Bolsa oferece ao aluno oportunidades de descontos e bolsas, que uma vez dentro dos requisitos, o estudante pode tentar encontrar qual valor é mais viável e possível para a sua realidade.

Vale lembrar que ambas as iniciativas devem ser bem estudadas e colaboram efetivamente, desde que as características do candidato sejam viáveis para que possa usufruir de um dos programas.

 

Add Comment