FIES a Juros Zero como Funciona

O processo para alcançar o diploma de graduado é árduo e merece muita dedicação e esforço, ao mesmo tempo, para que tal processo se inicie inúmeros estudantes dependem da ajuda do governo e de órgãos públicos que facilitem o ingresso em universidades, públicas ou privadas.

FIES a Juros Zero

Por esse motivo, programas como o Fundo de Financiamento do Ensino Superior, o FIES, foi criado e desde então têm ajudado milhares de jovens e adultos a iniciarem tal processo. No entanto, ainda que existam tais programas facilitadores, taxas de juros, número de vagas entre outros motivos impedem que boa parte da população não tenha uma oportunidade.

Diante desse cenário, o FIES criou uma modalidade a juros zero, facilitando ainda mais estudantes de baixa renda no caminho para a graduação.

O que é o FIES a Juros Zero?

No mês de Julho deste ano (2017), o Ministério da Educação, juntamente com o presidente Michel Temer e o Governo Federal, anunciou a criação de duas modalidades adicionais no programa de financiamento FIES.

O propósito de tais modalidades é garantir que uma parcela maior da população tenha acesso à graduação, no caso do FIES em universidades não gratuitas, proporcionando, assim, maiores chances de sucesso aos estudantes brasileiros.

A primeira nova modalidade traz um financiamento com juros zeros para os beneficiados pelo programa e conta ainda com a parceria das universidades no processo de quitação da dívida.

FIES a Juros Zero como Funciona?

A partir do ano de 2018, o FIES oferecerá 100 mil vagas a juros zero para alunos com renda bruta familiar per capita igual ou inferior a três salários mínimos. Os estudantes interessados nessa modalidade, além de preencher os requisitos financeiros, devem ter prestado a prova do ENEM com pontuação acima de 450 pontos e não ter zerado a redação.

Após o término do curso, os beneficiados por essa modalidade quitarão sua dívida com parcelas de até 10% sob o montante total de sua renda, descontadas diretamente no seu holerite ou renda adquirida por meio de qualquer empresa aberta em seu nome ou através dos Boletos do FIES.

Outra mudança nessa modalidade é que o estudante começará a quitar a sua dívida com o governo assim que encontrar e se estabilizar em um emprego, não necessariamente precisando esperar os 18 meses para o início do pagamento das parcelas.

Quem pode participar?

A nova modalidade divulgada pelo Governo Federal prevê juros zero à estudantes que atendam aos seguintes requisitos:

  • Possuir renda bruta familiar per capita de no máximo 3 (três) salários mínimos;
  • Estar matriculado em uma instituição privada e com avaliação positiva no MEC;
  • Alcançar nota superior a 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM);
  • Não zerar na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

O que muda para as instituições?

A partir de 2018, as instituições de ensino privadas terão participação no pagamento das taxas de juros do financiamento, ou seja, um fundo garantidor será criado para que as universidades ou faculdades cadastradas no financiamento contribuam para diminuir os riscos de inadimplências no período de quitação da dívida.

Tais mudanças garantirão a continuidade do programa, uma vez que a economia para o governo será de aproximadamente R$ 300 milhões de reais, segundo o Ministro Mendonça Filho.

Portanto, o programa continua e agora garantindo ainda mais oportunidades aos estudantes interessados em ingressar em uma instituição de ensino não gratuita.

 

No Responses

Add Comment